Blog Manancial Jovem - Um Giro de Notícias

sexta-feira, 19 de setembro de 2014

0 DATAFOLHA: Dilma mantém dianteira, mas Marina vence no 2º turno








Nova pesquisa Datafolha para presidente da República, divulgada nesta sexta-feira (18) pela Folha de S.Paulo, dá um novo ânimo para a candidata à reeleição, Dilma Rousseff (PT). De acordo com o levantamento, Dilma aparece com 37% das intenções de voto no primeiro turno. Em seguida, vem a ex-senadora Marina Silva (PSB), com 30%. O senador Aécio Neves (PSDB) continua em terceiro, com 17%.

Na pesquisa anterior, divulgada em 10 de setembro, Dilma tinha 36% das intenções de voto, Marina estava com 33% e Aécio, com 15%.

Pastor Everaldo (PSC), Eduardo Jorge (PV) e Luciana Genro (PSOL) tiveram 1% cada. Os demais candidatos não atingiram 1%. Brancos e nulos mantiveram em 6%. Não souberam responder 7%.

Mesmo com ataques diários de Dilma, que vem usando seu programa eleitoral para disseminar boatos, Marina resiste. Numa simulação de segundo turno, permanece o cenário de empate técnico, com ligeira vantagem para a ex-senadora. Se as eleições fossem hoje, ela venceria Dilma por 46% a 44%. Na semana passada, o número era de 47% a 43% para Marina.

Quando o candidato no segundo turno é Aécio, Dilma venceria por 49% a 39% – no levantamento anterior, o índice era de 49% contra 38%.

A rejeição à Dilma continua em 33%. Nesse intervalo, a parcela dos que não votariam de jeito nenhum em Marina passou de 18% para 22%, enquanto a de Aécio Neves foi 23% para 21%. É a primeira vez que tal índice de Marina supera o de Aécio.

O Datafolha pesquisou ainda sobre a avaliação do governo Dilma. Em relação à sondagem da semana passada, houve oscilação apenas no índice de aprovação: passou de 36% para 37% os entrevistados que consideram o governo Dilma bom ou ótimo, 38% apontaram como regular, mesmo número da rodada passada, e 24% disseram que é ruim ou péssimo, contra iguais 24% da última pesquisa.

Cenário ruim para Marina – De acordo com a pesquisa, Dilma passou a liderar nas cinco regiões do país. No Nordeste, no Norte e no Sul, de forma isolada. No Centro-Oeste, ela está numericamente à frente de Marina. E está em situação de empate técnico no Sudeste.

Marina perdeu votos em vários segmentos. Ela recuou 4 pontos no Sudeste, 4 entre as mulheres, 4 entre os católicos, 5 junto aos moradores de cidades médias (200 mil a 500 mil habitantes) e 6 entre os eleitores de 25 a 34 anos.

A margem de erro da pesquisa é de dois pontos percentuais para mais ou para menos. O Datafolha ouviu 5.349 eleitores entre os dias 17 e 18 de setembro.

( Blog do Noblat )

0 Eleições: os petistas lutam pelo emprego

0 Marina ataca 'políticas erráticas' de Dilma: 'Ricos estão cada vez mais ricos'











Diante da constatação de que o atual governo, pelo terceiro ano consecutivo, não apresentou avanços no combate à desigualdade, a candidata à presidência pelo PSB, Marina Silva, mirou no que classificou de "políticas erráticas" da presidente-candidata Dilma Rousseff durante os atos de campanha desta quinta-feira. De acordo com dados da Pesquisa Nacional por Amostragem Domiciliar (Pnad) de 2013, divulgados nesta manhã pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o indicador que mede a desigualdade de renda, chamado Índice de Gini, não mostra melhora significativa desde 2011. A piora deve-se ao baixo crescimento da economia e à menor oferta de vagas de trabalho – e atinge, portanto, uma das principais bandeiras da petista.

Marina esteve em Goiânia e em Vitória nesta quinta e tratou do assunto nas duas ocasiões. “Para além da inflação, o crescimento baixo e os juros altos, nós temos essa triste realidade de que no Brasil o processo de distribuição de renda está voltando à concentração da renda e que tivemos um processo de estagnação, uma tendência também de diminuição das igualdades sociais”, afirmou a candidata. “Não se está mais no processo virtuoso de redução das desigualdades sociais. Os 10% mais ricos estão ficando cada vez mais ricos e os 10% mais pobres estão ficando mais pobres. A presidente Dilma precisa explicar para população brasileira por que ela está entregando o país pior do que ela encontrou”, continuou.

Em seguida, Marina afirmou que o resultado do Pnad reflete “parte das políticas erráticas do governo”, representada pela volta dos juros, pelo baixo crescimento e pela elevada inflação. E prometeu que fará diferente se eleita: “Nós vamos investir em políticas sociais e recuperar a capacidade do Estado de favorecer investimentos e recursos”.

Nesta quinta, Marina escolheu Estados em que o PSB tem candidatura própria e está atrás nas pesquisas. O atual governador do Espírito Santo, Renato Casagrande, tem 29% das intenções de votos, enquanto seu adversário Paulo Hartung (PMDB) lidera com 42%, de acordo com o último Ibope. Em Goiás, a situação é ainda pior: o candidato peessebista Vanderlan Cardoso está com apenas 9%, enquanto o governador tucano Marconi Perillo tem 38% das intenções.

Aos goianos e capixabas, Marina apresentou as promessas não cumpridas por Dilma, como o baixo número de creches construídas e a falta de uma educação pública de qualidade, e aproveitou para rebater a fala da petista de que “nunca sabe o que Marina pensa”. “Eu tenho debatido muito a postura da presidente Dilma e sou eu que não sei exatamente o que ela pensa. Porque ela disse que ia ganhar o primeiro mandato para manter o país crescendo, para diminuir os juros e para conter a inflação, mas o que temos é o contrário”, afirmou Marina. “Eu estou em um debate com a presidente Dilma, é com ela que eu vou debater, e gostaria que ela apresentasse o seu programa e que não ficasse se escondendo atrás de fofocas”, continuou.

Atraso – Como tem sido comum em suas agendas de campanha, Marina chegou a Goiânia quase duas horas depois do previsto – o que irritou candidatos a diversos cargos que a aguardavam para tirar fotos de divulgação ao lado da ex-ministra, líder nas pesquisas no Estado. No calor do momento, deputados começaram a se empurrar na beira do palco na tentativa de se aproximar da socialista durante o discurso – e muitos não obtiveram sucesso.Revista Veja

0 Estudo mostra que exame de urina pode detectar câncer do colo do útero













Um simples exame de urina pode detectar os vírus do papiloma humano (HPV), responsáveis pelo câncer do colo do útero em grande parte dos casos, somando-se ao já tradicional papanicolau, de acordo com um estudo divulgado nesta quarta-feira.

Até 80% das mulheres sexualmente ativas foram infectadas em algum momento de sua vida com os HPV, embora apenas entre 10% e 20% desenvolvam uma infecção persistente que em alguns casos pode evoluir para um câncer do colo do útero, também chamado de cervical.

Nos países desenvolvidos, as mulheres devem realizar exames periódicos papanicolau para prevenir possíveis complicações oncológicas.

Após reunir os resultados de 14 estudos que comparam a eficácia dos exames de urina existentes aos papanicolau, os pesquisadores britânicos chegaram a resultados bastante similares, embora o papanicolau continue sendo um pouco mais preciso, segundo o estudo divulgado no site da revista British Medical Journal thebmj.com.

A sensibilidade desses exames é "moderada" na detecção dos casos positivos e "alta" na dos negativos. A proporção de casos positivos identificados corretamente foi de 73% enquanto a sensibilidade aos casos negativos foi de 98%.

A eficácia é maior quando a análise é realizada com a primeira urina do dia.

Os estudos foram realizados com 1.442 mulheres sexualmente ativas.

"A detecção dos HPV na urina é um método não-invasivo, de fácil acesso e mais aceitável para as mulheres", ressaltam os autores que acreditam que é possível melhorar a detecção em alguns subgrupos de população feminina reticentes em realizar o papanicolau.

Apesar disso, reconhecem que seus resultados devem ser interpretados com prudência devido às variações existentes entre os estudos e a ausência "de um método uniforme de detecção dos HPV na urina".

No comentário que acompanha o estudo, os pesquisadores de Manchester indicam que os exames de urina podem representar também alternativas "benéficas e baratas" nos países em desenvolvimento com carências em suas infraestruturas de saúde.

(Foto:Reprodução/Internet)



Da AFP

0 Acidentes de trânsito matam 43 pedestres por dia no Brasil







Parte mais frágil do trânsito, o pedestre foi o segundo tipo de vítima que mais pediu indenizações do Seguro de Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores de Vias Terrestres (Dpvat) no primeiro semestre de 2014, depois dos motociclistas. De acordo com levantamento da Seguradora Líder-Dpvat, uma média diária de 370 pedestres se envolveram em acidentes de trânsito, entre os que pediram indenização por morte, invalidez permanente e reembolso de despesas médicas.

Foram pagas 7.806 indenizações por morte de pedestre, uma média de 43 óbitos por dia, o que corresponde a 31% dos pagamentos por morte no período. Nos casos de invalidez permanente, foram mais de 50 mil indenizações para pedestres, 20% do total de casos desse tipo que acionaram o Dpvat.

O levantamento foi feito para alertar a sociedade sobre os perigos que o pedestre corre no trânsito, dentro da campanha da Semana Nacional do Trânsito, que começou ontem (18). A seguradora lançou a campanha "Viver seguro no trânsito", com informações e dicas sobre convivência pacífica. Também foi feito um vídeo com alunos de autoescola, no qual os professores simulam ensinar absurdos no trânsito. O material pode ser visto no site www.viverseguronotransito.com.br.

Para requerer o seguro, é preciso registrar um boletim de ocorrência na polícia e procurar os postos de atendimento das seguradoras, sindicatos dos corretores de seguros ou uma agência dos Correios. Os locais podem ser consultados no site do seguro Dpvat. O benefício por morte tem o valor de R$ 13,5 mil e a indenização por invalidez permanente é de até R$ 13,5 mil. O Dpvat não discute culpa do acidente, e o valor é pago em até 30 dias após a entrega dos documentos. A vítima de acidente de trânsito ou parente da vítima tem prazo de três anos para fazer o pedido, mas, de acordo com o diretor, os pedidos têm chegado com média de 90 dias.



Agência Brasil

0 Araripina faz maior carreata de sua história em apoio à candidatura de Paulo Câmara










Uma grande carreata tomou conta de Araripina, na noite desta quinta-feira (18), seguindo o candidato ao Governo, Paulo Câmara (PSB). O maior ato do tipo que o município já viu, mostrou a força da candidatura do socialista no Sertão e o desejo do Araripe em continuar avançando no caminho das conquistas dos últimos oito anos. Mais de mil veículos, entre carros e motos, percorreram cerca de seis quilômetros de diferentes bairros da cidade, recebidos em todos os quarteirões, calçadas, janelas e portas com bandeiras, acenos e gritos de incentivo.

Paulo, que estava acompanhado de seu companheiro de chapa, Fernando Bezerra Coelho (PSB/Senado), apontou que a alegria encontrada nas ruas de Araripina é um reflexo da aceitação de sua candidatura, que cresce em todas as regiões do Estado. "Vimos um clima extremamente positivo, com as pessoas animadas, dizendo que querem a continuidade do que foi feito pelo ex-governador Eduardo Campos e por João Lyra Neto (PSB). E nós vamos avançar ainda mais neste caminho, porque Pernambuco está pronto para crescer mais, com mais educação de qualidade, mais humanização na saúde e mais segurança", avaliou o socialista.

Além do prefeito de Araripina, Alexandre Arraes (PSB), vários gestores e lideranças da região, que já haviam participado do comício feito por Paulo e Fernando, pouco antes, em Exu, também acompanharam os candidatos por toda a carreata. "Isso mostra o que este projeto que tem mudado Pernambuco fez especificamente pelo Sertão do Araripe. Fico muito feliz de saber que vamos poder levar esse trabalho adiante, a partir de 2015", avaliou Paulo Câmara.

Mais de mil veículos tomaram conta da cidade para celebrar a Frente Popular


Fotos: Aluísio Moreira


0 Ministro do TSE volta atrás e autoriza que site de apoio a Dilma fique no ar

O ministro Herman Benjamin, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), reconsiderou sua decisão e autorizou nesta quinta-feira (18) a volta ao ar do site “Muda mais”, que apoia a candidatura da presidente Dilma Rousseff (PT) à reeleição. A página na internet é de responsabilidade do ex-ministro da Comunicação Social Franklin Martins, que comanda a campanha de Dilma na internet.

Na última terça (16), Herman Benjamin havia determinado que o site fosse retirado “imediatamente” do ar. A decisão atendia a uma reclamação da coligação da candidata do PSB à Presidência, Marina Silva.
saiba mais

Ministro do TSE determina que site de apoio a Dilma seja retirado do ar
TSE nega direito de resposta a Marina na propaganda de Dilma sobre pré-sal

Ao rever a decisão de tirar o “Muda Mais” do ar, Herman Benjamin disse que recebeu informações da coligação de Dilma de que o site pertence ao PT. Portanto, de acordo com o ministro, não haveria violação à lei eleitoral. Herman Benjamin determinou, no entanto, que a coligação da presidente altere o registro do domínio do site para que a “titularidade seja formalmente associada ao PT”.

Ao determinar, na terça-feira, a retirada do site do ar, o ministro havia argumentado que o portal não é registrado na Justiça Eleitoral por Dilma, pelo PT ou pela coligação “Com a força do povo”. Ele explicou que a propaganda eleitoral na internet, autorizada desde o dia 5 de julho, pode ser realizada nos portais do candidato, do partido ou da coligação, com endereço eletrônico comunicado à Justiça Eleitoral e hospedado, direta ou indiretamente, desde que o provedor esteja registrado no país.G 1
MANACIAL. Tecnologia do Blogger.